Somos a primeira corretora a atuar 100% na nuvem

Por Diogo Neves, CTO da Pi

Estamos muito felizes em anunciar que a Pi é a primeira corretora a atuar 100% na nuvem no Brasil. Isso significa que não temos nenhum data center, máquina ou local físico de nossa propriedade que contenha algum dado ou informação de cliente e de operações realizadas. Para garantir a máxima segurança, escolhemos a Amazon Web Services, unidade de negócios da Amazon.com, como fornecedora de infraestrutura na nuvem.

Quando começamos a desenhar a Pi, em março de 2018, logo em seguida, a primeira resolução que autoriza o uso de nuvem por instituições financeiras no País foi publicada pelo Banco Central, em 26 de abril de 2018. Desde o início, a Pi foi concebida para atuar 100% digital, entretanto, como fomos pioneiros neste formato, precisamos desafiar o status quo de alguns processos com órgãos reguladores.

A nuvem traz inúmeras vantagens, entre elas, a possibilidade de escalar a infraestrutura da empresa de forma rápida e fácil. A Pi é uma fintech e usa o DNA de startup para criar livremente as melhores soluções para os clientes. Se nosso número de correntistas dobrar em poucos dias, em 10 minutos conseguimos ampliar nosso ambiente produtivo. Além disso, ao atuar na nuvem conseguimos economizar e repassar isso para o nosso cliente. 

No modelo tradicional, normalmente as empresas possuem um data center e máquinas físicas. O cálculo da quantidade de servidores, firewall e máquinas é estipulado com base na expectativa de capacidade que a companhia espera atender nos primeiros meses ou anos. A questão é que é muito difícil acertar essa equação. Na maioria das vezes, ou a performance fica abaixo ou acima do esperado e, neste caso, ou você pagará por uma infraestrutura sem precisar de tudo aquilo ou seus serviços irão se transformar em um gargalo. 

A infraestrutura da AWS utiliza uma avançada defesa para ajudar a proteger a privacidade do cliente. Todos os dados são armazenados em data centers altamente seguros e o usuário pode controlar o uso de criptografia em todos os dispositivos. Além disso, os firewalls permitem criar redes privadas e o controle no acesso a instâncias e aplicativos.

Na prática, em termos de benefícios, isso significa mais agilidade, redução de custos, elasticidade, inovação e alcance global para as nossas operações.

Quer saber mais? Deixe um comentário para a gente.

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.