Por: Luis Afonso Lima, Head de Análise da MAPFRE Investimentos

O que podemos esperar da política monetária sob o governo democrata de Joe Biden? Como se  sabe, o período do mandato do presidente do Fed não coincide com o do presidente norte americano justamente para evitar a ingerência política. Também se pode dizer que o Federal Reserve já utiliza extenso arsenal para enfrentar a recessão em curso. A taxa de juros já se  encontra em níveis mínimos. Finalmente, pode-se dizer que a política monetária não será  preocupação prioritária para o Presidente eleito Joe Biden. Ou seja, não se deve esperar  mudanças no curto prazo na política monetária norte-americana já em curso. 

Photo by Jon Tyson on Unsplash

Mas o Presidente Biden pode querer deixar sua marca na política monetária no médio e longo  prazo. Isso ocorrerá quando o mandato de seu atual Presidente, Jerome Powell, terminar, em  fevereiro de 2022. Joe Biden poderá atender a apelos de progressistas por mudanças amplas no  Fed. A plataforma do partido democrata inclui reformas para tornar o Fed atento a questões  como a desigualdade social e racial. As demandas do partido também contemplam uma  regulamentação financeira mais rígida. E vale lembrar que a senadora democrata Elizabeth Warren, hoje voz importante em questões de regulamentação financeira, foi contrária à nomeação de Powell em 2018. 

O que isso significa para a paridade entre o dólar e outras moedas? A política monetária norte americana é condicionante importante.

Uma política monetária expansionista nos Estados Unidos, sem dúvida, distensiona os mercados financeiros no mundo. A perspectiva é de mais  liquidez por mais tempo, em benefício das condições financeiras, da menor aversão a risco, dos  preços dos ativos e das demais moedas de economias desenvolvidas e emergentes. Isso já está  acontecendo. Mercados precificam probabilidades futuras a valor presente. Não por acaso, a  moeda norte-americana vem se enfraquecendo. A depender da valorização do dólar nos últimos anos, há espaço para sua desvalorização adicional. A era do dólar forte acabou.

**Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Pi Investimentos.

Ainda não tem conta na Pi Investimentos? Clique aqui e abra agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.