Pesquise por hashtags, nomes e assuntos

Resultado não encontrado para: ''

Imposto de Renda 2020: como declarar seus investimentos?

Francisco Holanda. 18/02/2020

Entre os meses de março e abril abre a temporada de declaração do Imposto de Renda (IR) de 2020. Você está preparado para encarar um dos impostos mais abrangentes e temidos do país? 

Declarar o Imposto de Renda pode não ser uma tarefa fácil. O leão – animal que representa o IR – é um imposto para todos os cidadãos com rendimentos acima de um valor determinado pela Receita Federal, que precisam prestar contas com a mesma. 

Se você realizou determinados investimentos no ano de 2019, seus rendimentos também deverão ser tributados. Mas como declarar meus investimentos e o que mais preciso saber na hora de declarar o IR?

Essas e algumas outras dúvidas iremos desvendar nessa matéria, afinal, a melhor forma de declarar o IR é estando bem informado, para evitar multas ou quaisquer problemas com autoridades. 

Quem tem que declarar Imposto de Renda:

A declaração do IR é fundamental para os que desejam crescer seu patrimônio conforme a lei exige. Sonegar impostos, mesmo que inconscientemente, pode gerar multas pesadas por parte da Receita Federal.

Mas como você viu, a depender da sua renda, você não precisará declarar o IR.

O que você irá conferir: 

O que é Imposto de Renda?

O Imposto de renda é um tributo cobrado anualmente pelo Governo Federal sobre os ganhos das pessoas e empresas. 

Anualmente o cidadão que precisa declarar o imposto, apresenta à Receita Federal uma declaração, na qual ele cita seus bens, rendimentos e despesas que teve no ano anterior. Esse documento precisa ser apresentado até 30 de abril daquele ano e será onde o contribuinte irá preencher as informações sobre sua renda dos últimos 12 meses.

O valor que o cidadão pagará de imposto será de acordo com os rendimentos declarados, de forma com que as pessoas que possuem uma renda maior, irão pagar mais impostos, enquanto as com renda menor, menos. 

A maior fatia dos impostos arrecadados, segundo muitos governos defendem, possuem um viés social, de modo a diminuir a desigualdade entre pobres e ricos. De forma simples, quem ganha mais contribui mais. 

Boa parte da arrecadação, segundo o Governo, é destinado à saúde, educação, segurança pública, defesa do meio ambiente e para programas de distribuição de renda como o Bolsa Família.

Outra fração também é destinada a programas de geração de emprego e inclusão social, além da utilização para projetos de habitação popular, reurbanização e saneamento.

Sob a declaração e de acordo com os rendimentos do cidadão, será aplicado uma alíquota para se chegar até o valor que deve ser pago ao governo. O cálculo é feito automaticamente pelo programa da Receita federal, que preenche e transmite a declaração. Essa declaração também irá permitir ao governo que acompanhe a evolução patrimonial dos contribuintes.

Basicamente, pode-se classificar o IR como um valor anual descontado sobre os rendimentos das empresas e dos trabalhadores no Brasil. Entre a lista de rendimentos tributáveis estão: salários, aluguéis, investimentos e prêmios de loteria.

Nem todas as despesas são tributáveis e há uma série de possíveis deduções que poderão diminuir o valor a ser pago, além dos impostos que são retidos na fonte (como pode ocorrer no salário e em fundos de investimento) que devem ser informados na declaração de forma a serem subtraídos do cálculo final. 

Por ser um imposto aplicado tanto a pessoas físicas quanto jurídicas, o IR se divide em duas categorias: o Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ). 

Para pessoas físicas, as alíquotas variam de acordo com a renda. São isentos da cobrança os contribuintes que ganham abaixo do limite obrigatório estabelecido pela Receita.

Já para pessoa jurídica, o imposto é destinado a empresas brasileiras. A alíquota aplicada incide sobre o lucro, que pode ser real, presumido ou arbitrado, dependendo da atividade desenvolvida e do porte do negócio.

Como funciona o Imposto de Renda

O IR é retido mensalmente no salário do trabalhador ou pago com base em outros rendimentos, como os investimentos. Com a declaração anual obrigatória, a Receita Federal verifica se o cidadão está pagando o proporcional ao que deveria. 

Quando a Receita detecta que o cidadão está pagando menos impostos do que deveria, ele precisará compensar o valor. Caso ele esteja pagando mais, ele terá direito a ressarcir parte do valor na restituição, que será explicada mais abaixo.

O valor que o contribuinte deverá pagar é informado assim que a declaração é preenchida. O pagamento pode ser feito por débito automático ou boleto.

Todo ano o contribuinte deverá declarar tudo que ganhou no ano passado, como salários, investimento, aposentadorias, aluguéis, imóveis, veículos e outros bens materiais como jóias ou quadros, com valores a partir de de 5 mil reais.

Também é possível listar algumas despesas feitas no mesmo período, que poderão ser abatidas na declaração e logo, reduzir o valor do imposto a ser pago. Para essas despesas damos o nome de deduções de IR.

Alguns exemplos de gastos para dedução são:

Lembre-se de que todos os valores colocados na declaração precisam ser iguais aos informados em comprovantes de rendimento ou de pagamento. 

Tabela de Imposto de Renda

Para entender o cálculo do valor que o contribuinte deveria ter pago de Imposto de Renda ao longo do ano passado e quanto ele ainda deve pagar, a Receita Federal compara o valor declarado com a tabela abaixo.

Com ela o contribuinte também entende em qual faixa se enquadra, para compreender qual o percentual que será aplicado sobre sua renda anual ao fazer o pagamento do imposto.

BASE DE CÁLCULO (R$)ALÍQUOTA (%)PARCELA A DEDUZIR DO IRPF
Até 1.903,98isento
De 1.903,99 até 2.826,657,5%R$142,80
De 2.826,66 até 3.751,0515%R$354,80
De 3.751,06 até 4.664,6822,5%R$636,13
Acima de 4.664,6827,5%R$869,36

Passo a passo para declarar o imposto de renda

1° passo – Revise os critérios de obrigatoriedade para saber se de fato você precisa declarar o IR. Caso você seja obrigado, junte todos os documentos como: 

– Entre no site da Receita Federal e faça o download do programa IRPF 2020, quando estiver disponível. 

– Preencha os formulários do programa de acordo com seus dados pessoais na aba “Nova Declaração”. 

Você poderá escolher entre o Modelo Simplificado — em que é aplicada uma alíquota de 20% sobre a renda — e o Modelo Completo — que exige o lançamento de todas as deduções.

– Caso possua dependentes, inclua seus dados na declaração, clicando na aba “Dependentes.

– informe os rendimentos que possuiu em 2019, sejam eles tributáveis ou não. 

6° – Informe ao programa quais pagamentos você realizou em 2019, que poderão gerar algumas deduções. Isso será preenchido nos campos “Imposto de Renda retido na fonte”, “pagamentos com Carnê-Leão” e “doações efetuadas”.

– Por último, basta incluir na declaração as informações sobre seus bens, direitos, dívidas e ônus. Entram nessa categoria imóveis, veículos, saldos de poupança, bens com valor maior que R$ 5 mil e dívidas. 

– feito isso, basta entregar a declaração. Clique em pendências para checar se faltou alguma informação. Se estiver tudo certo, clique em “entregar a declaração” e emita a Darf para realizar o pagamento do imposto.

Após o envio da declaração, o contribuinte poderá acompanhar o processamento por meio do Extrato da Declaração do IRPF. Por meio dele, o contribuinte verifica se a declaração foi processada, se está em análise, se há possíveis pendências ou se o pagamento das cotas está correto.

Para acessar o extrato basta clicar aqui, após gerar um código no site da Receita, ao informar CPF ou CNPJ.

Como declarar seus investimentos no Imposto de Renda?

É preciso declarar os investimentos de acordo com o demonstrativo chamado ‘informe de rendimentos’, no qual constam todos os dados sobre os valores a serem declarados. Esse documento é fornecido pela instituição financeira que gerencia suas aplicações e pode ser solicitado diretamente a eles. 

Vale lembrar que mesmo investimentos isentos de IR, como Letras de Crédito (LCI), Letras de Créditos do Agronegócio (LCA) ou a própria caderneta de poupança, devem constar no documento. No entanto, vale reforçar que esses investimentos não sofrerão tributação e apenas precisam estar listados na declaração.

Ao preencher os dados referentes aos seus investimentos na declaração de IR, é fundamental ter em mãos as informações referentes a suas aplicações, que irão constar no informe de rendimentos.

Na Pi,por exemplo, os investidores terão acesso ao informe de rendimentos na própria plataforma, a partir do dia 28 de fevereiro.

Tome cuidado ao realizar a declaração para não cometer erros de digitação dos valores ou qualquer outro equívoco. Os mínimos erros podem fazer a Receita Federal desconfiar que você está sonegando impostos ou omitindo informações. Atente-se também para não confundir códigos ou informá-los nos campos errados, uma vez que a tributação para cada campo pode ser diferente. 

Rendimentos e resgates que foram feitos no mesmo ano devem ser informados na seção “Rendimentos sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”. O valor inicial no entanto não precisa ser listado na seção de “Bens e Direitos”, uma vez que o que interesse para Receita é apenas o lucro obtido. 

Confira um exemplo: 

Você investiu R$ 2.000 no Tesouro Selic, em fevereiro de 2019, e resgatou o valor em novembro, com um lucro líquido de R$ 100. Nesse caso, o que interessa à Receita é que o investidor informe o valor de lucro e não o valor inicial investido.

Declarando Tesouro Direto

A declaração dos ganhos com Tesouro Direto pode ser feita diretamente no aplicativo da Receita Federal, “Meu Imposto de Renda”, ou por meio do programa que será disponibilizado no site do órgão.

Veja o passo a passo:

  1. Escolha a opção “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”;
  2. Clique em “Rendimentos de Aplicações Financeiras”.;
  3. Preencha o saldo do Tesouro Direto equivalente ao valor de aquisição, de 31 de dezembro do ano retrasado até 31 de dezembro do ano fiscal vigente;
  4. Informe o rendimento líquido pago ou creditado nesse mesmo período;
  5. Especifique cada ativo, como a corretora pela qual você investe, e o CNPJ dela.

Declarando fundos de investimento

Os informes de rendimentos dos fundos são fornecidas pela própria instituição administradora (gestora do fundo). 

  1. Escolha a opção “Bens e Direitos” do programa;

2. Selecione o código para fundos de investimento de acordo com o tipo de ativo que você investe:
2.1. “71 – Fundo de Curto Prazo”;
2.2. “72 – Fundo de Longo Prazo e Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC);
2.3. “74 – Fundo de ações, Fundos Mútuos de Privatização, Fundos de Investimento em Empresas Emergentes, Fundos de Investimento em Participação e Fundos de Investimentos de Índice de Mercado”;
2.4. “79 – Outros fundos”;

3. No campo “Discriminação”, informe:

– A instituição financeira que administra do fundo;

– Quantidade de quotas que você possui;

– Em caso de conta conjunta, nome e CPF do co-titular ou CNPJ do fundo;

4. Por fim, no campo “Situação em 31/12/20XX (R$)”, preencha o valor presente na data.

Declarando renda variável

Basta seguir esse passo a passo para cada um dos papéis que você possuir, seguindo o informe de rendimentos. 

Vale lembrar que quem comprou e vendeu ações ou fez outras operações com renda variável também deve ter em mãos os documentos de controle de compra e venda, com a apuração mensal de imposto, e as DARFs.

  1. Escolha a opção “’Bens e Direitos”;
  2. Selecione o item “’31 – Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica)”;
  3. Em “Discriminação”, você descreva o ativo. Por exemplo:
    1. “Ações: Empresa, nº do CNPJ; Corretora; Quantidade de ações”;
  4. Nos campos “Situação em 31/12/20XX”, “Situação em 31/12/20XX”, informe a posição acionária, em reais, na data especificada.;

Declarando renda fixa

Para essa declaração você também precisará do informe dos rendimentos. Com ele em mãos basta seguir o passo a passo:

  1. Encontre a opção “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”;
  2. Selecione o item “Rendimentos de Aplicações Financeiras” e clique em “novo”;
  3. No campo tipo de beneficiário, escolha a opção “Titular”;
  4. Na área de “CNPJ da Fonte Pagadora” insira o CNPJ da corretora ou banco pelo qual você fez o investimento;
  5. Preencha a soma dos rendimentos recebidos, mesmo que apareçam fragmentados no informe.

Restituição do Imposto de Renda

A restituição do IR ocorre quando a Receita Federal detecta que o contribuinte pagou mais impostos do que deveria ter pago. Por conta disso, ele terá direito a receber de volta parte do valor. A quantia é devolvida até o mês de dezembro do mesmo ano em que foi declarado o IR.

Atente-se que os primeiros a pagar o IR geralmente recebem a restituição com antecedência. Em 2019, os valores restituídos foram pagos aos contribuintes em sete lotes mensais. As datas para 2020 ainda não foram divulgadas.

Isenção do Imposto de Renda

São automaticamente isentas do IRPF 2020, segundo a Receita Federal, pessoas que tiveram rendimentos abaixo de R$ 28.559,70. A Receita Federal ainda não divulgou se fará alterações para o ano calendário de 2020.

Mas há casos específicos, nos quais o cidadão pode solicitar a isenção do imposto. Entre eles estão os rendimentos relativos a reforma, aposentadoria ou pensão de pessoas portadoras de doenças graves, incluindo cegueira, esclerose múltipla, AIDS, alienação mental, cardiopatia grave, entre outras. 

Para solicitar a isenção do IR, é preciso apresentar um laudo pericial que comprove a moléstia.

Como não cair na malha fina?

Malha fina, é como é mais conhecido o processo de verificação de inconsistências da declaração do Imposto de Renda,e que age como uma espécie de “peneira” para os processos de declarações que estão com alguma pendência ou irregularidade.

Em 2018, cerca de 380 mil contribuintes enfrentaram esse problema e foram notificados, pois a Receita Federal tem aperfeiçoado cada vez mais suas análises na hora de cruzar informações.

Para não ter que pagar multas ao passar por esse transtorno existem algumas dicas que o contribuinte pode utilizar: 

Você já deve saber que tentar enganar a Receita Federal, para pagar menos impostos, é considerado crime de sonegação.

Ao ser pego, o contribuinte, poderá, além de pagar uma multa, estar sujeito a cumprir pena de dois a cinco anos de prisão.

Para evitar que isso aconteça, caso o contribuinte tenha notado algum erro em sua declaração ou que esqueceu de informar algum dado, ele poderá apresentar uma retificação junto à Receita, por um prazo de até cinco anos. 

Esse é o período que o órgão realiza a malha fina e, após detectarem erros, o contribuinte poderá ser chamado para prestar esclarecimentos. 

Caso o contribuinte já tenha feito a retificação, a Receita irá considerar como uma demonstração de que ele não agiu de má-fé, o que poderá reduzir as chances de uma pena de prisão, por exemplo. 

Para os que têm a obrigatoriedade de declarar, mas não o fazem, ficarão impedidos de realizar uma série de atividades como: prestar concurso público, pegar empréstimos, renovar passaportes, abrir contas em banco etc. 

Como declarar Imposto de Renda atrasado?

A data final para apresentar a declaração é o dia 30 de abril. Após essa data, o contribuinte está atrasado. 

O processo para resolver isso é o mesmo da declaração formal. A diferença é de que o contribuinte terá de pagar uma multa, que em 2019 foi de R$ 165,74 para os que não precisavam pagar o imposto. Já para os que precisavam, a multa foi de 1% ao mês sobre o imposto devido, com o acréscimo da correção monetária da taxa Selic, mas limitada a 20% do total do valor a ser pago.

Gostou do conteúdo ou possui dúvidas sobre o IR? Deixe seu comentário abaixo.

Leia também:

Avaliar

Obrigado por votar

Você já votou neste post

Fazer comentário

Notícias relacionadas

Come-cotas – o que é e como funciona?

Se você investe em fundos de investimento, precisa saber que duas vezes por ano pode […]

Como o cenário macroeconômico influencia seus ativos? | Safari Capital

Você já parou para entender os motivos que levam o mercado a entrar em panico? A Safari Capital fala sobre o cenário macro e sua influencia nos ativos.

Como o coronavírus impacta nos seus ativos? | Porto Seguro Investimentos

Atualizado em 30/01/2020. Descubra a opinião da Porto Seguro Investimentos sobre o novo coronavírus e seu impacto no mercado.

Como investir no exterior? Conheça 4 formas!

Como investir no exterior é uma pergunta constante. Os investidores que querem saber como investir na bolsa americana encontram a resposta nessa matéria.

Especialistas discutem os impactos do coronavírus nas favelas e startups

Na quinta-feira (16), a Pi, fez uma transmissão, ao vivo, com Felipe Bottino, CEO da […]

Morning Call: Dólar, PIX, Reino Unido, Serviços e Resultados trimestrais

Publicado em 13/08/2020

Panorama macro: a visão da Vinci Partners para o mês de agosto

Neste cenário de quadro de recuperação econômica, a grande questão a ser respondida é: será que essa tendência de melhora permanecerá nos próximos trimestres?

CRI e CRA: conheça tudo sobre esses títulos de renda fixa

Em momentos de queda de taxa de juros, quem ainda busca por opções em renda fixa precisa conhecer os CRIs e CRAs. Leia tudo sobre o assunto!

BDR: tudo que você precisa saber sobre o Brazilian Depositary Receipt

BDR é a sigla em inglês para Brazilian Depositary Receipt, também conhecido como Certificado de Depósito de Valores Mobiliários (CDVM). Confira a matéria.

Valuation: descubra o que é, para que serve e as técnicas utilizadas

Nem sempre o preço de uma ação representa exatamente o valor justo para aquele ativo. Ajudar nessa definição é a função do chamado valuation.

Tesouro Selic zera taxa de custódia para aplicações de até R$ 10 mil

Confira aqui a novidade do Tesouro Selic, sem taxa de custódia para aplicações em até R$ 10 mil.

IPO: o que é e como funciona?

IPO é a sigla utilizada para se referir ao termo “initial public offering”, que em português significa “oferta pública inicial”. Entenda sobre o assunto.

Resumo da semana: PIB, Avianca, reforma tributária e China

Publicado em 17/07/2020

Análise fundamentalista x análise técnica: por que utilizá-las no mercado de ações?

A analise técnica e fundamentalista são ferramentas essenciais para bons resultados na bolsa de valores. Aqui você entende tudo sobre o assunto.

Mercado financeiro: os primeiros passos sobre o assunto

Você quer começar a investir? O primeiro passo é conhecer mais sobre o mercado financeiro em si. Aqui trazemos uma introdução sobre o assunto.

O que é stop loss e stop gain na bolsa de valores?

Você já conhece as ferramentas de stop loss e stop gain? Elas podem ser utilizadas para diminuírem os riscos no mercado de renda variável. Saiba mais!

Fundos imobiliários: o que são, como funcionam e suas vantagens

Os fundos imobiliários são ativos que te permitem ser dono de uma parte de diversos imóveis sem necessariamente ter de comprá-los. Leia mais!

Value investing: como funciona essa estratégia de investimento?

Você já conhece o value investing? Essa é uma estratégia do mercado de ações que todo investidor deve conhecer. Nessa matéria explicamos tudo pra você.

Investimentos a longo prazo: onde investir para o seu futuro?

Investimentos a longo prazo devem fazer parte do portfólio de qualquer investidor. Nessa matéria você conhece algumas opções de ativos para isso.

Como configurar sua Amazon Echo para receber os Morning Calls da Pi

Aqui vai um passo a passo simples para que você comece a receber analises completas e exclusivas na sua Amazon Echo. Confira!

Saiba quem são os novos investidores da bolsa de valores

Mesmo com a alta volatilidade do mercado, a B3 registrou a entrada de pouco mais de dois milhões de novos investidores pessoa física na bolsa de valores. Saiba quem são essas pessoas.

Copom: o que é e como funciona o Comitê de Política Monetária do Banco Central

Você já conhece o Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil? Acredite ou não, ele está diretamente ligado aos seus investimentos. Descubra!

Investimentos para cada fase da vida | Nord Research

Recebemos o sócio fundador da Nord Research, Renato Breia, para falar sobre investimentos para cada fase da vida. Confira!

Fundos DI: o que são, como investir e quais suas vantagens

Você já conhece os fundos DI? Eles são opções de renda fixa muito conhecidas por investidores conservadores ou iniciantes. Leia tudo sobre esses fundos!

Saque do FGTS será liberado para quem tem conta ativa ou inativa. Veja o que se sabe até agora!

Publicado em 05/06/2020

FIDCs: o que você precisa saber sobre esse tipo de investimento

Você já conhece os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios? Os FIDcs são uma classe de fundos um tanto diferentes. Nesta matéria explicamos pra você.

5 lições da série “La casa de Papel” para os investimentos

A série “La Casa de Papel” além de muito boa também trás lições importantes para o mundo dos investimentos. Leia agora o que você pode aprender com ela.

Os 4 cenários para uma recuperação econômica no Brasil

O fato de que a economia brasileira irá sofrer drasticamente após o fim da pandemia já é algo inquestionável. Mas como ela irá se recuperar? Confira aqui.

As diferentes formas de investir na bolsa | Sonata Maestria

Por: Patricia Palomo, gestora da Sonata Maestria, carteira exclusiva da Pi Investimentos Muitas pessoas se […]

Investimentos seguros: onde investir?

Quer conhecer opções que tragam segurança e uma maior rentabilidade que a poupança? Confira essa matéria sobre opções de renda fixa.

O que esperar da economia pós-pandemia? | Claritas Investimentos

Como estará a economia pós crise e como proteger seus investimentos? Esse foi o assunto do Papo Fundo da semana, com a Claritas Investimentos.

Blue Chips: o que são as grandes ações da bolsa?

Você já conhece as grandes empresas do mercado financeiro? Elas recebem o nome de Blue Chips e nessa matéria você confere tudo sobre o assunto.

Campanha “Invista em Você” dará super brindes aos investidores

Quer saber como ganhar brindes incríveis apenas investindo na Pi? Confira aqui os detalhes.

O segredo para se manter no azul na crise | Vinci Partners

Conheça o segredo dessa asset para conseguir resultados positivos no meio da pandemia. Entrevistamos a Vinci Partners para entender melhor suas estratégias.

Novo corte na taxa Selic, deflação, acordo comercial EUA e China, desemprego e o halving do Bitcoin

Publicado em 08/05/2020.

Como identificar, gerenciar e se proteger dos riscos? | Persevera Investimentos

Quer saber mais de como pode controlar os riscos dos seus ativos? A Persevera Investimentos explicou qual estratégia utiliza. Leia agora!

A alta do dólar e os fundos cambiais na crise

Publicado em 30/04/2020.

Fundos de previdência privada: saiba como investir na sua aposentadoria

Deseja ter uma aposentadoria mais tranquila ou quer fazer planos para o longo prazo? Você precisa conhecer os fundos de previdência privada. Confira!

Mercado fecha em queda com instabilidade política

Publicado em 24/04/2020.

Os fundamentos por trás das ações | Grou Capital

O que analisar antes de comprar uma ação? Essa é uma questão que muitos investidores se perguntam. A Grou Capital ajuda a entender. Confira!

Mercado futuro: seu guia completo sobre o tema

O Mercado futuro é um ambiente de renda variável onde são negociados contratos futuros. Nesta matéria você irá entender tudo sobre o assunto.

As maiores crises econômicas mundiais e o coronavírus

O Covid-19 trás discussões sobre sua relação com outras crises que o mundo já vivenciou. Aqui explicamos sobre antigas crises e sua relação com a atual.

Como surfar nas oportunidades da crise? | Tarpon GT

Neste episódio do 3,14 Cast, o gestor da Tarpon GT explicou pra gente como encontrar oportunidades na crise por meio de ações diferentes. Leia agora!

Derivativos: tudo que você precisa saber

Você está a procura de ativos mais arriscados na bolsa? Talvez os derivativos possam ser uma opção. Nessa matéria explicamos tudo sobre o assunto.

Bolsa tem semana mais tranquila

Publicado em 09/04/2020.

Debêntures incentivadas: o que são e suas vantagens ao investir

As debêntures incentivadas são um dos ativos em renda fixa mais buscados por investidores. Nesta matéria você irá entender tudo sobre o assunto. Confira!

Incertezas ainda dão o tom do mercado

Mais uma semana de forte volatilidade se encerra, enquanto o mercado acompanha a evolução do […]

[Ações] É hora de investir, resgatar ou esperar? | Bresser

Atualizado em 01/04/2020. O que fazer com as suas ações na crise do coronavírus? Fazer algo ou apenas esperar o mercado voltar a normalidade? Essas dúvidas Rodrigo Bresser responde.

Dividendos: entenda tudo sobre o assunto

Como viver de renda com dividendos? É possível ou não? Essas e outras dúvidas a gente responde nessa matéria completa sobre o assunto. Confira!

Especialista reforça a importância da diversificação das carteiras de investimentos em tempos de crise

Atualizado em 30.03.2020. Conheça a opinião do sócio fundador da Nord Research Renato Breia, sobre a importância de diversificar a carteira de investimentos em meio a crise.

ETF: o que é, como investir, suas vantagens e riscos

Quando falamos em bolsa de valores, a primeira coisa que vem a cabeça são ações. Aqui trouxemos outra opção interessante na renda variável, o ETF. Confira!

Notícias positivas trazem ânimo, mas volatilidade continua

Atualizado em: 24/03/2020.

Por que Henrique Bredda trocou dólar por ações? | Alaska Black

Atualizado em 20/03/2020.

Esse é o momento de ser conservador? | DLM Invista

Em um dos períodos mais conturbados dos últimos anos na bolsa, seria hora de voltar as atenções para a renda fixa? A DLM Invista nos ajuda a entender.

Small caps: o que são, para que servem e suas vantagens

Você conhece as small caps? Elas são ações da bolsa de valores que podem trazer rendimentos atrativos. Confira uma matéria completa sobre o assunto.

Tensão segue forte nos mercados globais

Atualizado em 16/03/2020

IPCA: o que é e como ele influencia sua vida e investimentos?

Você já conhece um dos mais importantes índices da nossa economia? O IPCA influencia diretamente sua vida e seus investimentos. Descubra como.

Bolsa: A fase atual do mercado de ações | Reach Capital

Onde encontrar oportunidades em ações? Quais são os grupos de ações com os maiores rendimentos? Essa e outras perguntas a Reach Capital ajudou a responder.

Renda extra: 33 dicas de como conquistar a sua

Precisando de mais dinheiro? Quem não precisa? Criamos aqui uma matéria com 33 dicas de renda extra já comprovadas e que podem te ajudar. Confira!

Fundos multimercado: seu guia completo

Você já conhece os fundos multimercado? Eles podem ser uma opção para os investidores que buscam por uma carteira diversificada. Confira a matéria completa.

Por que investir em fundos quantitativos? | Kadima Asset Management

Você já conhece os fundos quantitativos? Eles podem ser opções vantajosas para os momentos de volatilidade do mercado. Confira a matéria!

Como ficam seus investimentos quando a bolsa cai?

Atualizado em 27/02/2020

“DesinterMÍDIAção”: o cliente no centro de tudo

Por Felipe Bottino, CEO da Pi Repito, em todas as oportunidades que tenho, o propósito […]

Onde encontrar oportunidades de investimento em renda fixa? | Rio Bravo

Você sabia que ainda existem oportunidades de renda fixa, mesmo com a Selic em baixa? A Rio Bravo investimentos veio falar sobre o assunto. Confira!

Fundos de renda fixa: tudo o que você precisa saber

Quer sair da poupança? Os fundos de renda fixa podem ser uma opção. Descubra aqui tudo que precisa saber para começar a investir nesse tipo de investimento.

Nova ação da Pi dará uma Alexa para investidores

Lançamos nesta terça-feira (18) uma ação de marketing que vai presentear os participantes com um […]

Por que a carteira do Jojo vai fechar? | Vitreo

Você conhece a carteira pronta da Pi que é administrada por Jojo? O gestor da Vitreo explicou pra gente porque seu fundo irá fechar em breve e muito mais.

Fundos de ações: tudo o que você precisa saber

Não sabe como investir na bolsa ou não tem tempo? Os fundos de ações podem ser uma solução para isso. Conheça mais sobre o assunto!

Investidor qualificado: o que é e como se tornar um

O que é um investidor qualificado? Pra que ele serve? Como ser um? Calma… iremos explicar tudo isso pra você nessa matéria. Confira agora!

Como ser sócio de Roberto Justus | Nest Asset Management

Você sabia que um dos maiores empresários do Brasil também é sócio de uma grande gestora de investimentos? Conheça mais sobre Roberto Justus e sua asset.

A Selic caiu de novo. E agora?

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu reduzir a taxa Selic mais […]

O que analisar antes de comprar ações? | Kiron Capital

Como fazer bons investimentos na alta da bolsa e o que analisar antes de comprar ações? Essas são algumas dúvidas que a Kiron Capital respondeu pra gente.

Conheça o Taxômetro dos investimentos

Se todos os investidores brasileiros tivessem investido na Pi em 2019, mais de R$ 6 […]

Transferência de custódia: como mudar de corretora

Você já tem seus investimentos em uma corretora, mas está insatisfeito com os serviços prestados […]

Cashback: o programa de pontos da Pi Investimentos

Já sabe o que é cashback e como ele aumenta sua lucratividade nos investimentos? Confira agora.

Confira qual a melhor corretora para investir em 2020

Ainda em dúvidas de qual a melhor corretora para se investir em 2020? Confira agora!

4 dicas de especialista para investir bem em renda fixa

Com a Taxa Selic, que é a referência para todos os juros praticados no Brasil, […]

Como o acordo comercial entre EUA e China impacta seus investimentos?

Estados Unidos e China querem dar mais um passo rumo à solução da tensão comercial […]

A dinâmica global nos investimentos | Franklin Templeton

O movimentos internacionais afetam os seus investimentos? Descubra já!

Por que um fundo fecha? | Pi Simplifica

Você sabia que um fundo de investimento pode fechar? Não? A Gabriela Schor explica sobre o assunto.

O que é Ibovespa? | Pi Simplifica

Você conhece o benchmark da renda variável? Ainda não? Confira então o Pi Simplifica sobre o Ibovespa.

Qual é seu perfil de investidor? | Pi Simplifica

Sabe o que é e para que serve o perfil de investidor? Confira aqui.

Entenda de uma vez o que é liquidez nos investimentos

O que é liquidez no mundo dos investimentos? Descubra agora!

A salvação é pelo risco? | Occam Brasil

Filosofia no mundo dos investimentos? Temos! Confira o que a Occam Brasil fala sobre riscos.

Como investir em ativos globais? | Vinland Capital

Confira o que rolou no 3,14Cast com a Vinland Capital.

Ele estava deixando de ganhar R$ 100 mil (e você?)

Muitas pessoas ainda podem estar deixando de ganhar dinheiro por falta de informação. Sim, talvez […]

CDI+: A renda fixa aditivada

A renda fixa não morreu, já diz o mantra repetido em todo o mercado financeiro. […]

Terceira Guerra Mundial nos investimentos?

Em meio à tensão no Oriente Médio, muitos investidores têm se mostrado cautelosos em relação […]

Confira 6 dicas de como investir em dólar

Um post com algumas dicas de como investir em dólar. “Tudo na vida tem seu […]

Gestão financeira pessoal: Confira 18 livros para ler em 2020

2020 começou e você precisa conferir a nossa recomendação de livros de gestão financeira pessoal!

Conheça 10 vantagens de investir com a Pi Investimentos

A ascensão dos meios digitais permitiu o surgimento de novos serviços de acesso a aplicações […]

Carteira de Investimentos: Confira as vantagens em investir nas da Pi

Conheça mais sobre as carteiras de investimentos da Pi.

Investir em tesouro direto: Tudo o que você precisa saber!

O Tesouro Direto é um dos investimentos mais seguros do Brasil. Por isso, é benéfico […]

Onde investir seu dinheiro? Descubra agora

Descubra agora onde começar a investir.