Pesquise por hashtags, nomes e assuntos

Resultado não encontrado para: ''

Como ficam seus investimentos com a queda da Selic?

Redação Pi. 05/11/2019

Com a nova queda da taxa Selic, como ficam seus investimentos? Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central reduziu a taxa básica de juros, de 5,5% para 5% ao ano. Nesse novo cenário, a poupança começa a perder para a inflação esperada para os próximos 12 meses. Você sabe o que isso significa?

Significa que se você colocar hoje seu dinheiro na poupança e sacar daqui a um ano, não poderá comprar as mesmas coisas que compraria hoje. Sua aplicação vai perder valor para a inflação ao longo do tempo. Mais um motivo para reforçarmos que poupança não é investimento!

Como investir, então, nesse novo cenário com a queda da Selic?

Respire.

Este é o primeiro conselho dado por Fabio Passos, gestor de fundos do Indossuez. “Vejo pessoas desesperadas porque os juros estão caindo muito e elas não sabem mais o que fazer com seus investimentos. Os fundos de renda fixa têm enfrentado um movimento de saída muito forte. Tem um certo exagero nesse comportamento dos investidores”, avalia.

O segundo conselho do gestor é tão direto quanto. “Se você não sabe o que está acontecendo agora no mercado, ou procura alguém para te ajudar a tomar decisões ou estuda para entender, se for do seu interesse. O que não dá é tomar decisões impulsivas, baseadas no estômago em vez da cabeça”, afirma.

Passos pode até parecer um pouco duro nas suas colocações, mas essa racionalidade é importante na hora de investir. “Quando os juros estavam altos, nós não precisávamos sair da caverna para caçar. Com os juros mais baixos, a comida deixou de vir até a nossa boca. É preciso sair da caverna e assumir mais riscos, mesmo sabendo que, pela natureza volátil do mercado, não há garantia de retorno”, explica.

Na prática, Passos está falando sobre a possível necessidade de rebalanceamento de carteira nesse novo cenário e de uma evolução na forma como o investidor pode buscar seus retornos. Isso não significa, entretanto, abandonar de vez a renda fixa. Quer dizer apenas que, quem quiser manter as mesmas rentabilidades do passado, pode aumentar a exposição da sua carteira ao risco do mercado.

“O Copom deixou claro que se trata de uma taxa de juro expansionista, focada na expansão de crédito para estimular a economia brasileira. Ou seja, os juros neste nível não devem durar para sempre”, avalia Passos.

Vale destacar também que o investimento em renda fixa não deixa de ser um componente importante na formação da reserva de emergência, aquele investimento de três a seis salários que deve ser feito por segurança para os momentos de imprevisto. O ponto de Passos é que, para manter a mesma rentabilidade que a renda fixa já trouxe um dia, o investidor poderá aplicar aquela parte do seu dinheiro, que não integra a reserva de emergência, em investimentos de maior risco.

“Vejo um movimento de paúra no mercado. Em vez de reagir de maneira mais racional, estamos tendo uma coleção de movimentos exagerados. Mas, no futuro, eles tendem a se normalizar, se suavizar um pouco. Em vez de agir de forma impulsiva, os investidores deveriam parar para olhar suas carteiras e analisar o quanto de risco estão assumindo”, avalia Passos.

O terceiro e último conselho do gestor para esse cenário de queda da Selic está relacionado à atenção que os investidores devem ter aos custos de suas aplicações. “Quando estamos ganhando muito dinheiro, nos preocupamos menos com o preço das coisas que compramos. Agora com a queda dos juros, é preciso tomar cuidado, por exemplo, com as taxas de administração dos fundos de investimento e ter certeza que não estamos pagando 2% ao ano para ter um retorno de 0,5% no mesmo período”, alerta.

Aproveitando a deixa de Passos, é importante lembrar que, para investir aqui na Pi Investimentos, você terá custos reduzidos. Além de termos alguns produtos sem taxas, como o Pi Selic, um fundo de investimento em títulos públicos atrelados à Selic, ao investir tanto em renda fixa quanto em fundos de investimento, você começa a participar do nosso programa de cashback.

Na prática, isso significa que você receberá de volta parte da quantia investida em Pontos Pi. Esses pontos são convertidos em dinheiro, que pode ser reinvestido. Como nós não trabalhamos com agentes intermediários, aqueles profissionais que fazem a ponte entre você e seus investimentos, nós achamos justo dividir parte dos nossos ganhos com nossos clientes.

Gostou deste conteúdo? Deixe suas dúvidas nos comentários.

Leia também: 4 dicas de como investir bem em renda fixa

Avaliar

Obrigado por votar

Você já votou neste post

Fazer comentário

  1. Rendimento da Poupança – vale a pena investir? | Blog da Pi

    […] Leia também: Como ficam seus investimentos com a queda da Selic? […]

    Responder

Notícias relacionadas

Novos cortes na Selic deverão ser mais espaçados, diz Copom

O Copom divulgou nesta semana, a ata de sua última reunião, onde informa sobre o futuro da Selic e o limite de novos cortes. Leia mais.

Copom: o que é e como funciona o Comitê de Política Monetária do Banco Central

Você já conhece o Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil? Acredite ou não, ele está diretamente ligado aos seus investimentos. Descubra!

Investimentos seguros: onde investir?

Quer conhecer opções que tragam segurança e uma maior rentabilidade que a poupança? Confira essa matéria sobre opções de renda fixa.

Esse é o momento de ser conservador? | DLM Invista

Em um dos períodos mais conturbados dos últimos anos na bolsa, seria hora de voltar as atenções para a renda fixa? A DLM Invista nos ajuda a entender.

“DesinterMÍDIAção”: o cliente no centro de tudo

Por Felipe Bottino, CEO da Pi Repito, em todas as oportunidades que tenho, o propósito […]